em

PSFs reiniciam programas para fumantes e gestantes e melhoram ações

Para hipertensos e diabéticos

A Prefeitura de Unaí, por meio da Secretaria de Saúde, está retomando ações no âmbito da Estratégia de Saúde da Família desenvolvida nos PSFs. Programas e equipes de atendimento estão sendo reestruturados. Em todos os PSFs, ações voltadas para hipertensos e diabéticos estão sendo melhoradas e programas antitabagismo (contra o fumo) e para orientação/atendimento de gestantes estão sendo reiniciados. Muitas dessas ações haviam sido desativadas por falta de incentivos e ausência de recursos.

Tabagismo

O Programa de Tabagismo é indicado à pessoa que deseja parar de fumar. Na metodologia utilizada, o paciente precisa se submeter a um programa de recuperação, constituído por quatro módulos, que pode durar de um ano a um ano e meio. As ações visam combater tanto a dependência química, quanto emocional e psíquica. Antes de iniciar o programa, o paciente passa por série de avaliações, inclusive avaliação psicológica.

Depois de iniciado o programa, o paciente é atendido por equipe multidisciplinar composta por médico, enfermeiro, psicólogo e pode ter outras indicações como nutricionista e fonoaudiólogo.

O fumante que deseja aderir ao programa deve procurar o PSF que atende a região onde mora e manifestar sua vontade de participar. Novas turmas se iniciam somente quando os módulos do programa em curso são concluídos.

Para mais informações, ligar 3677-4861 (ramal 216).

Gestantes

Esse programa desenvolvido nos PSFs fornece informações e acompanhamentos que a gestante precisa nessa nova fase da vida. São dicas importantes para atravessar o período gestacional com a melhor qualidade de vida possível e orientações valiosas para a futura mãe: amamentação, cuidados com o recém-nascido, atenção com o calendário de vacinas e outras dicas fundamentais na relação mãe-bebê.

Portanto, as ações para gestantes nos PSFs vão além das consultas e exames pré-natais, que são convencionais nessa fase e envolvem apenas médicos e enfermeiros. Com o programa para gestantes nos PSFs, a saúde “geral” dela é acompanhada mais de perto por equipe mais ampla.

Participando do programa, o grupo de gestantes recebe informações, por exemplo, sobre saúde bucal, nutrição adequada e outras orientações importantes relativas à gravidez, o parto e o pós-parto. “São abordados vários assuntos pertinentes, que a gestante não tem em consultas convencionais de pré-natal”, diz Sonária Faria, coordenadora de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde.

Mais informações, ligar 3677-4861, ramal 216.

Hipertensão e diabete

A hipertensão e o diabete são doenças crônicas que acometem grande quantidade de unaienses. Como são doenças crônicas, não têm cura, mas podem ser controladas. “Esse é o propósito”, assinala Sonária.

O grupo recebe orientação e atendimento, com oferta de alternativas sobre como melhorar a qualidade de vida, mesmo portando uma doença crônica. Hipertensos e diabéticos unaienses são convidados a participar dos grupos de orientação e controle da doença, mas a participação efetiva depende de cada um. Muitos preferem apenas buscar os medicamentos no PSF, e ponto.

Mais informações sobre o programa para hipertensos e diabéticos, ligar 3677-4861, ramal 216.

PSFs

Em Unaí, existem 13 equipes de PSF funcionando em 11 unidades básicas de saúde. A área de cobertura dos PSFs unaienses é considerada aquém do desejado, mas não se diferencia muito dos índices nacionais.

A Estratégia de Saúde da Família unaiense atinge 63% de cobertura (de atenção básica da saúde da população) com PSFs. A média nacional é de quase 70% de cobertura. Para a coordenadora Sonária, “ainda não foi atingida a meta em todo o país, por se tratar de uma política passando por reestruturação”.

Uma equipe básica de PSF é composta por médico, enfermeiro, dois técnicos de enfermagem e agentes comunitários de saúde (ACS). A quantidade de ACS varia conforme a quantidade de pessoas a serem atendidas numa dada região.

O ideal preconizado pelo Ministério da Saúde é que uma equipe de PSF atenda, no máximo, 4.000 pessoas em sua área de cobertura. O objetivo é resguardar o princípio do médico de família e fazer com que cada equipe de PSF tenha o histórico e conheça as famílias que estão atendendo.

Além dos programas e ações mencionados, os PSFs podem adotar ações direcionadas para vulnerabilidades de saúde detectadas na área de cobertura. Por exemplo, regiões (ou bairros) onde há casos prevalentes de dependentes de drogas podem desenvolver programas para concentrar ações de combate à dependência e de atendimento aos pacientes.

Em situações que demandam ajuda mais especializada, os PSFs lançam mão da estratégia de “matriciamento”, ou seja, fazem trabalhos conjuntos com outros órgãos especializados como NASF ou CAPS, também vinculados à Secretaria Municipal de Saúde.

O NASF funciona como extensão dos PSFs e possui profissionais especializados (psicólogos, fonoaudiólogos, pediatras e fisioterapeutas) para atendimentos conjuntos. O CAPS possui psicólogos, assistentes sociais e médico psiquiatra para atendimento a portadores de doença mental grave.

Serviço

Para saber mais sobre os programas e as ações desenvolvidos nos PSFs, ligar no 3677-4861, ramal 216, e falar na Coordenação da Atenção Básica, setor da Secretaria Municipal de Saúde.



Deixe seu Comentário

Prefeitura contrata 19 para atuar em mutirão de limpeza contra dengue

Patrícia Rodrigues Menezes